quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Resenha: O teorema Katherine - John Green

 
Título: O teorema Katherine
Autor(a): John Green
Editora: Intrínseca
Ano: 2013      
Páginas: 307
Nota: 4/5
Comprar:  Amazon    Saraiva    Submarino

   Vi muitas críticas negativas sobre esse livro, algumas até dizendo que esse era o pior livro do autor e por isso fiquei com receio de ler e me decepcionar, mas acabei lendo para tirar a minha própria conclusão.
   O passado é uma história que segue uma lógica. É uma percepção do que aconteceu. Já o futuro, como ainda não é lembrança, não precisa fazer nenhum sentido. - Lindsey pág. 282
    No livro conhecemos Colin Singleton um garoto que desde criança é considerado um prodígio, ama anagramas e acabou de levar um pé na bunda de sua namorada. Algo de esquisito nisso? Não se considerarmos normal alguém só ter namorado garotas com o mesmo nome. Isso mesmo, Colin Singleton não escolhe suas namoradas pela beleza ou pela inteligência, mas sim pelo seu nome. Colin Singleton namora apenas garotas cujo nome seja Katherine.
   Por melhor que seja a sensação do beijo, nada é melhor que a expectativa do bejo. Pág. 107
   Depois que a sua 19° Katherine termina o namoro com Colin, o mesmo fica desolado e parte em uma viagem de carro com seu melhor – e único – amigo, Hassan. Os dois vão parar em Gutshot, no Tenessee, onde conhecem Lindsey. Como sempre foram as Katherines que terminavam o namoro, Colin decide criar um teorema que pode dizer quanto tempo irá durar qualquer relacionamento.
   É possível amar muito alguém, mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela. - Collin pág. 141
O início do livro é um pouco paradinho e demorou bastante para a história me prender, mas mesmo assim em minha opinião, foi um livro digno de John Green e um dos melhores dele. Não foi dessa vez que John Green me decepcionou.
   O que é importante para você define seu nível de importância. - Lindsey pág. 281